top of page
  • Foto do escritorTech Crop Agronegócio Ltda.

Quais os melhores tipos de milho para cultivo no Brasil?

Considerado um dos cereais mais consumidos do mundo, o milho é uma cultura muito importante para a agricultura brasileira. E o que a produção de milho significa no mercado agrícola brasileiro?

O Brasil é o terceiro maior produtor de milho do mundo. Sua alta rentabilidade e demandas interna e externa, com um grande leque de variedade comercial, permitem que o milho seja usado tanto na alimentação, quanto na fabricação de rações, além do seu uso como ingrediente básico para processos industriais.

O milho também gera diversas vantagens para a sua lavoura, auxiliando no controle de pragas, aumentando a saúde do seu solo e o crescimento da sua produtividade.


O milho mais indicado para o cultivo vai depender, não somente da sua região, mas perincipalmente da aplicação para o qual se destina. Existem vários tipos de milho, sendo diferenciados pelo endosperma presente nos grãos.


•  O Milho Dentado possui endosperma duro nas laterais e no meio do grão, isso faz com que, ao desidratar, o grão forme uma depressão na região da coroa (parte superior do grão) e fique com o seu formato semelhante a um dente. É amplamente utilizado na nutrição animal e indústria, para produção de álcool e xaropes.

• O Milho Doce, ou Milho Verde como é mais conhecido, conta com endosperma adocicado e translúcido, devido à baixa concentração de amido.

• O Milho Duro possui endosperma vítreo, tornando o grão arredondado, liso e brilhante. Possui um bom rendimento para a indústria, sendo amplamente utilizado na fabricação de canjicas, fubás, snacks, massas, cervejas, condimentos, etc.


• O Milho Farináceo tem um endosperma mole, e seus grãos são opacos, além de serem facilmente moídos, possibilitando uma alta extração de amido e possuirem sabor suave e adocicado. É ideal para a produção de farinhas, sendo muito utilizado na produção de pães e biscoitos.


• E o Milho para Pipoca? O Milho de Pipoca é diferente dos outros, possuindo um pericarpo (película que reveste o grão) mais espesso, com grande parte do endosperma vítreo.


Cada tipo de milho possui características e necessidades diferentes em sua cultura, por isso é importante estudar cuidadosamente a escolha para o seu plantio.


Para garantir uma plantação de sucesso, é preciso muito planejamento, sendo importante considerar fatores como a temperatura ideal, luminosidade, sol, semente, semeadura, irrigação, tratos culturais e tempo de colheita. Um planejamento cuidadoso contribui para o bom desenvolvimento das plantações de milho e também de outras culturas.


O principal período para o cultivo do milho (safra) é entre os meses de outubro e dezembro e depois, entre os meses de janeiro a abril (safrinha). A colheita da lavoura de milho ocorre geralmente de 4 a 6 meses após o plantio. As espigas ficam maduras 50 dias depois do florescimento. Esses períodos podem mudar dependendo da espécie de milho utilizada na lavoura.


A temperatura ideal para o desenvolvimento das espigas de milho é entre 24° a 30° C. A baixa temperatura pode afetar o desenvolvimento dos grãos. As lavouras de milho precisam de luminosidade, por pelo menos algumas horas por dia.


A irrigação deve ser feita para que o solo fique úmido, pois o milho possui raízes muito superficiais, portanto a falta de água pode ser prejudicial ao seu crescimento no início da lavoura.

Assim como é comum nas plantas, o milho possui um ciclo de desenvolvimento com diversas etapas, sendo elas:

• Germinação e emergência.

• Crescimento vegetativo.

• Florescimento.

• Frutificação.

• Maturidade fisiológica.

Sabendo disso, é necessário entender também que existem dois sistemas para a plantação do milho: o plantio direto e o convencional.


No plantio direto há pouco ou nenhum revolvimento do solo entre a colheita e o plantio do próximo cultivo, ou seja, é conservada a palhada anterior sobre o solo. Neste método, o ideal é que ele seja rico em matéria orgânica e tenha o pH entre 5,5 a 6,8.

Já no plantio convencional, o solo é preparado de acordo com práticas tradicionais, onde toda a vegetação é removida e a terra é arada para facilitar o crescimento das novas raízes. As sementes são os próprios grãos do cereal. A semeadura pode ser feita diretamente no local definitivo da lavoura ou em sementeiras. O espaçamento entre as plantas é baseado nas características dos talhões, a média é que essa distância seja de 1m entre as linhas de plantio e 20cm entre as plantas.


Os talhões devem estar os mais planos possíveis, facilitando a semeadura e a colheita. O auxílio de um especialista em solos pode facilitar o trabalho do produtor rural nessa preparação.


O milho é uma cultura que precisa de muito nitrogênio no solo para seu desenvolvimento, por isso, uma adubação nitrogenada pode ser necessária.


Veja aqui, quais as fases de crescimento onde uma complementação com fertilizantes é indicada e os produtos recomendados para obter uma maior produtividade da sua plantação.


Por fim, a manutenção dos equipamentos agrícolas aumenta o desempenho da sua atividade e evita atrasos na colheita, reduzindo custos operacionais e aumentando a lucratividade.


Para mais informações sobre como obter uma colheita mais segura e rentável, entre em contato com nosso departamento técnico pelo WhatsApp: (15) 99661-1274 ou acesse nosso site: www.techcrop.com.br

0 comentário

Comments


bottom of page